10 dezembro 2017

Terminei: Star Wars - The Force Unleashed II

Olá meus jovens padawans, no meu caminho da força eu ganhei mais experiencia e XP terminando mais um jogo da saga Star Wars. Na verdade, não terminei muitos jogos inspirados nessa galáxia distante, até porque achar bons jogos dela é uma tarefa para Jedis.
Star Wars - The Force Unleashed II foi lançado pela LucasArts para que é tudo que é plataforma em 2010, 5 anos após o termino da trilogia prequel (Episódio 1, 2 e 3) nos cinemas e 5 anos antes da nova trilogia, ou saga, ou sabe-se lá por quanto tempo a Disney vai prolongar isso. Ou seja, as referencias para lutas entre Jedis e Siths eram bem chochas, por mais que a trilogia clássica seja boa, as lutas com sabres de luz não eram a parte mais excitantes dos filmes. Ficava aquele sentimento de "com esses poderes dava pra ter uma luta épica pra carai" porém esse épico ficava apenas nos nossos sonhos nerdicos já que mesmo com uma boa tecnologia a mão, essas lutas não ficaram lá essas coisas na prequel. Esse jogo foi onde esses sonhos nerdiosos foram realizados.
No primeiro jogo pudemos ver o potencial de Starkiller (o personagem principal e discípulo de Darth Vader) mas no segundo tudo foi elevado ao extremo, o cara usa dois sabres de luz, sendo que é possível escolher a cor e poder de cada um deles, a Força é usável de maneira mais bruta possível (é possível fazer bolinha de papel com uma nave e taca-la em outra nave) e o grande barato é que temos poderes dos Siths a mão, como aqueles raios chocantes.
Viu, raios chocantes.
Por falar nesse equilíbrio entre Jedi e Sith que o Starkiller é obrigado a encarar, o final desse jogo te dá uma escolha entre os dois caminhos no final e como eu sou o Francidomal, lógico que escolhi o caminho Sith e fiquei boquiaberto com o fim, sério, terminei a porra toda, sai correndo pela casa e fui contar pra minha mulher que teve que ouvir cada detalhe desse fim com direito a dublagem e atuação. O triste é que a Disney não estava de bom humor e quando comprou a Lucas Film tirou esse jogo do cânone da saga.
Tanto esse quanto seu antecessor eu ganhei no Games With Gold da XBox Live na versão de XBox 360 e para ser bem sincero não conhecia muito além da capa e roteiro básico, não sei ao certo qual foi a aceitação dele mas o que me importa é a minha experiencia e posso dizer que foi muito boa.
Ao chegar ao fim desse jogo, vi as noticias do Star Wars Battlefront II sendo recheado com loot boxes e recebendo um hate tão cabuloso que até a Disney teve que entrar na pancadaria com a EA (que publicou o jogo) e dei ainda mais valor ao Force Unleashed, que nem modo multiplayer tem mas traz uma campanha completa, com uma boa história, gráficos e jogabilidade e não tentava te vender DLC pra tudo.
Ah e dá para upar o Starkiller também.
Enfim, terminei esse jogo e recomendo muito para quem ainda não jogou, aliás, recomendo ele e seu antecessor pois assim não ficará boiando ao jogar. E que a Força esteja com você.

06 dezembro 2017

Hoje Eu...Li: Clube Da Luta

Olá caros seres humanos deste planeta repleto de vida e insatisfação, se vocês estão vivos e gostam de um bom filme, devem conhecer Clube Da Luta, aquele lá com Edward Pritt e Brad Norton. Mas o que boa parte do publico que assistiu as altas confusões dessa turma que apronta várias, é que esse filme é a adaptação de um ótimo livro escrito por Chuck Palahniuk, que além de ter um sobrenome impronunciável, tem uma visão muito ácida da sociedade como um todo.
O livro segue a mesma história do filme porém com algumas partes bem diferentes e outros detalhes que fazem toda diferença, pelo livro estar todo em primeira pessoa, sendo que a história é contada a partir do personagem sem nome, podemos entender melhor suas paranoias e frustrações. Isso não quer dizer que o filme é inferior ao livro ou vice-versa, cada um tem suas qualidades e o filme foi uma puta adaptação que merece todo reconhecimento que tem.
Algo que me chamou atenção aqui foi quando Tyler Durden aparece pela primeira vez, numa praia deserta, criando uma escultura com troncos, onde ele se senta na sombra dessa escultura, que permanece perfeita por alguns minutos (a descrição está ruim para não estragar sua experiencia literária). O narrador sem nome pergunta do porque dele encarar todo esse trabalho se a sombra só ficou perfeita por um breve momento, ele explica que mesmo sendo por um breve momento, ele ficou sobre a sombra de algo perfeito (não é exatamente assim mas é isso).
Chuck Palahniuk, autor desapontado.
A muito tempo falamos sobre Carpe Diem aqui, aproveitar o momento, aquele ínfimo momento, por mais curto que seja, é o que deve ser aproveitado e é isso o que Durden faz, ele aproveita o breve momento de algo perfeito. 
As vezes, quando executamos uma tarefa ou hobby, deixamos de aproveitar vários momentos enquanto esperamos o que ainda está por vir, até mesmo no sexo ocasionalmente deixamos de aproveitar as preliminares esperando pelo contato de fuck graus. Ao envelhecer, aprendi a curtir cada minimo momento, a introdução longa de uma musica, cada side-quest que recheia com mais história um bom game, cada beijo e peça de roupa retirada, cada surpresa ou risada que um filme ou série pode me trazer ou até mesmo o prazer que cada gole de cerveja me reserva.
Nossa vida é curta, os bons momentos nela são tão poucos e por vezes acabamos presos a preocupações que acabam nos fazendo deixar passar batido eles. O amanhã não nos pertence, viver o agora é incrível, é ter tesão pela vida, é poder olhar pra traz e ter boas recordações.
Enfim, assim como Durden, valorize aquele pequeno momento que mesmo sendo curto e tendo dado muito trabalho para chegar nele, é perfeito.
Carpe Diem.

29 novembro 2017

10 Minutos 6 - Splatterhouse - Wanpaku Graffiti (NES)

E ae pequenos raios de luzes, vamos ao que interessa porque no resto não há presa.
Hoje teremos mais uma jogatina bem divertida e o jogo escolhido para isso foi Splatterhouse - Wanpaku Graffiti, aquele joguinho da horíssimo da Namco que já apareceu aqui em Personagens - Fã Canibal Corpse (Splatterhouse: Wanpaku Graffiti/Nes), lançado para Nes em 1989, bem naquela época que o nosso querido Nintendinho estava sobrevivendo por aparelhos. Sim, no fim da vida útil do console um jogo de ótima qualidade foi lançado, início das épocas gamísticas eram cheia de classe e valores... Ah bons tempos onde era tudo mato.
Enfim, assistam e curtam, ou não, e se divirtam com 10 Minutos de um clássicão á base de muito save state.

17 novembro 2017

1 Quest 7 - Manhunt 2 (PSP) - Episode 5 Best Friends

Hoje eu to com uma preguiça lascada e ainda estou em processo de reabilitação de um piripaque bem doido que tive na Terça-Feira e só melhorei de fato hoje.
Esse 1 Quest do Manhunt 2 (que já apareceu aqui em 10 Minutos 5 - Manhunt 2 (PSP) e 1 Quest 2 - Manhunt 2 (PSP) - Episode 1 Awakening) está gravado e pronto pra ser upado desde aquele dia, porém deu ruim e ficou assim, então vai hoje, agora.
É isso, minha preguiça não me permite ir além do que aí está, então que assim seja e até a próxima.