19 julho 2017

Rock & Literatura: Saga O Senhor Dos Anéis (Lord Of The Rings)-J. R. R. Tolkien (Parte 16)

E voltamos a esse assunto que tanto amamos, claro que estou falando de Rock N' Roll e Senhor Dos Anéis, onde você pode encontrar a parte 15 aqui.

Pois é, simbora:

Heavenhill: Esses russos bem loucos (fui redundante agora pois se é russo é louco) tocam um heavy metal que remete um pouco ao lado pesado do Deep Purple, tem classe e é porrada na orelha. Em The Road to the Dimholt os caras falam sobre aquele lar construído pelos mortos que Aragorn e seus camaradas chamam para batalha;

Ringwraith: E como nunca deixamos de lado, vamos ao lado obscuro da porra toda, uma banda de black metal bem true da Itália, de tão true que o Ringwraith é, eles nem tem álbum de estúdio. Porém a sua primeira demo já tem o nome de Tales from Middle Earth (demo essa que depois foi relançada como split junto da banda Doominhated). Além do nome da demo em homenagem a Terra Média, com todas as suas musicas voltadas a história criada por Tolkien, a banda lançou outro split também com musicas homenageando a história do Um Anel. E o mais legal, Ringwraith é um dos nomes dos Nazgûl, em uma tradução livre esse nome quer dizer Espectros Dos Anel;

Scum: Indo a um death metal direto da Finlândia. O Scum homenageia a Morgoth, um dos principais vilões, ou algo do nível, do Silmarillion. Se você acha Sauron maligno saiba que Morgoth foi o mestre dele de certa forma;

Paradox: E aqui temos um thrash metal alemão, porrada no pâncreas, tocando um som com o mesmo nome da banda, Paradox. A letra é uma viajem da porra mas menciona Boromir, Aragorn e até mesmo Shadowfax (Scadufax seria a pronuncia no inglês antigo para esse nome moderno), o cavalo fodão do Gandalf;

Reverend Bizarre: E pra fechar um doom vindo direto da Finlandia. Em Cirith Ungol temos 21 minutos de som arrastado tratando da fortaleza construída por Gondor e perdida para Mordor.

13 julho 2017

Lynch (Kane & Lynch) Se Auto-Explica

Arte: Franci

11 julho 2017

5 Minutos - 1 - 007 GoldenEye

Depois de uma semaninha de férias voltamos trazendo conteúdo novo, inauguramos o 5 Minutos, um gameplay editado, dinâmico e rápido que dura, advinha só... isso mesmo criança especial, 5 minutos.
Para inaugurar saporra trazemos um grande clássico, 007 GoldenEye. Jogaço lançado em 1997, produzido pela Rare, lançado pela Nintendo para seu Nintendo 64. Esse FPS marcou a historia e mudou toda uma geração, influenciando games que são lançados até hoje, 20 anos depois.
Nunca desacreditem da Rare amiguinhos e assistam o vídeo.

29 junho 2017

Edu Falaschi The Angra Ye.... Rebirth Of Shadows Tour

E ai senhoros e senhoras.
Nesse ultimo mês Edu Falaschi anunciou sua tour Angra Years que se propunha a exatamente o que o nome diz, tocar as grandes musicas da sua passagem pelo Angra. Os shows não se limitariam apenas a isso mas também trariam músicos daquela época sendo eles Aquiles Priester (Hangar/ Noturnall) na bateria e Fabio Laguna (Hangar) no teclado além de dois músicos do Almah, Diogo Mafra na guitarra e Raphael Dafras no baixo e ainda Roberto Barros na outra guitarra.
Eu sei que esse show deixou seus mamilos duros e lactando, assim como os meus estão.
Porém e sempre existe um porém em tudo nessa danada dessa vida, o próprio Falaschi fez uma transmissão ao vivo no dia 19 de junho explicando de uma maneira bem clara que foi informado que poderia sofrer com problemas legais por conta do uso do nome "Angra" na tour e por isso foi aconselhado por seus advogados a mudar o nome da tour, sendo assim o nome do show passou a ser Rebirth Of Shadows Tour, nada muda, apenas o nome da tour e quem comprou os ingressos e tudo mais pode ficar despreocupado.

Nós aqui do Attitude23 descobrimos esse vídeo por intermédio do Rafael Bittencourt que fez um post falando que iria responder sobre as "calunias difamatórias" do vídeo do Falaschi. Isso atiçou nossa curiosidade e passamos a acompanhar a treta que ganhou mais um capitulo com um vídeo de resposta do Bittencourt. No vídeo gravado no dia 23, Bittencourt fala diretamente ao Falaschi. Diz que ficou chateado de não ter sido informado do uso do nome da banda e que queria participar disso até no planejamento para não atrapalhar as atividades do Angra. Que o resto da banda nem sabia disso e que ele tinha pedido para os advogados dele entrarem em contato com o Falaschi apenas para uma conversa, que o publico não precisava saber disso tudo pois dava para resolver com uma simples ligação.
https://www.facebook.com/RBittencourtOn/videos/10154747178027333/
Então chegamos a treplica do Falaschi onde ele explica que estava no meio de uma turnê quando foi acionado pela advogada do Bittencourt, de uma maneira bem fria e direta a advogada deixava claro que ele tinha 10 dias para entrar em contato e acertar tudo, porém, esse tempo era algo que ele não tinha já que estava em tournê na Europa por isso resolveu por mudar o nome da tour e avisar ao publico do ocorrido. Ainda no mesmo vídeo, Falaschi explica a responsabilidade que tinha com o publico, músicos e contratantes dos shows e por isso teve que correr com essa decisão. O mais interessante é que ele fala que não avisou da tal tour porque não achava que isso criaria alguma complicação e que acreditava que estaria tudo bem já que o empresário tanto do Angra quanto do Edu Falaschi é o mesmo.
https://www.facebook.com/edufalaschi.officialpage/posts/10156283963899745
Enfim, aparentemente depois disso a treta esfriou, pelo menos na frente do publico, porém fica o desconforto. Uma banda do porte do Angra criar caso porque um ex-membro está apenas usando o nome da banda na tour é ridículo. Os direitos autorais do uso das musicas da banda estão sendo pagos, pode ter certeza disso mas procurar problemas com uso de nome da banda é procurar um meio de prejudicar o próximo e não adianta falar que não era algo judicial pois foram mandados advogados, isso desmente o argumento.
Imagina se esse tipo de babaquice entra na moda... de fato já entrou pois os irmãos Cavalera proibiram o uso das musicas de suas fase na banda no documentário do Sepultura, agora isso com Angra. Não imagino bandas gigantes, por mais grandiosas que são fazendo esse tipo de ataque aos seus ex-membros, tirando o Black Sabbath que teve que mudar de nome no seu retorno com o Dio, todas os grandes monstros do rock tem algum ex-membro fazendo um som e usando tanto nome quanto material em suas tours pelo mundo, quem ganha com isso é o fan que pode ver aquele show que não pode ver no passado por algum motivo. Quando uma banda procura problemas por conta disso, ela não apenas está prejudica aos ex-colegas mas também ao publico.
Mas usando o que o cara do print abaixo diz, no fim isso serviu de uma otima divulgação, então tá valendo.