24 outubro 2013

Lars Ulrich (Metallica)

Desenho: Franci

15 outubro 2013

Dia Do Professor: E o respeito, ó!

Hoje é um dia dedicado àqueles que, por um longo período de tempo, têm feito parte de nossas vidas: o professor.
Como profissional na área da educação, tenho visto e sentido na pele as agruras desse setor. E sério, não é fácil! 
A minha indignação não está ligada tão somente ao salário pois acredito que este seja apenas reflexo da falta de reconhecimento tanto por falta de governo, pais e alunos.

Há um tempo atras li uma matéria "O que os professores realmente querem dizer aos pais" (Link aqui) onde o autor Ron Clark afirma que o maior problema no exercício da  docência esta ligada aos pais. Isto porque pais e professores não se entendem mais. Há pais que sequer sabem em que sala o filho estuda e quem são seus professores. Tomam partido do filho sem ouvir o outro lado. Estou falando do que vejo, do que presencio, não do que imagino ou me contam.
É certo que o professor não é visto como um profissional tal qual um médico, engenheiro, advogado ou de quais quer outra área. Esta afirmação se ratifica desde reação de desprezo das pessoas quando tomam conhecimento da profissão e/ou curso à "importância" dada a um conselho ou reunião.
Em entrevista a Veja.com (Link aqui) , Clark afirma a importância do trabalho em conjunto entre pais e mestres: "Os pais precisam da escola e a escola precisa do apoio da família para realizar um  bom trabalho." Isso porque não é possível delimitar onde termina o trabalho da família e começa o do professor. Se a família não respeita e não vê o professor como um profissional, dificilmente os filhos o iriam enxergar e tão pouco o respeitar.
Mas a minha critica aqui não se resume aos pais e sociedade. Se estende a nós, profissionais da educação.
Talvez, por não nos sentirmos valorizados, também não nos damos o devido valor. Enquanto não nos enxergamos como profissionais e fazermos valer os anos de estudos para chegar onde estamos, os outros também não enxergarão.
Se vista como profissional. Escola não é sua casa, é seu local de trabalho! Assuma o seu papel sem medo. Aja como profissional. Sem "mimimi". Escolhemos essa profissão sabendo o que nos aguardava.
Quanto ao governo... Chega mais...
Sua "cobrança" a nosso setor é tão bizarra, tão desproporcional e medonha... é tanta burocracia e uma série de coisas que devemos cumprir... que fico em dúvida se realmente deseja que façamos um excelente trabalho, ou se apenas faz isso, de proposito, para nos atrapalhar no mesmo.
No mais agradeço a todos os profissionais da educação, em especial aos que direto ou indiretamente fizeram e fazem parte da minha vida.  A todos vocês, que tecem a manhã de forma única e particular, o meu Muito Obrigada! Feliz dia do professor!

12 outubro 2013

Ben Draiman: Emoção de Maneira Unica

Olá cidadãos do rock! Começo esse Underground23 dizendo que nós recebemos informações de músicos de diversas bandas e estilos por diversos meios, entre eles, Twitter ( @Attitude23_ ) e e-mail ( doyourself23@gmail.com ). Avaliamos as bandas e o nosso critério é, se for underground e de qualidade, -isso é, fizer nossa cabeça e demonstrar qualidade em seu trabalho até não sendo um estilo que nos agrade- publicamos. Muitas vezes, como somos duas pessoas, uma banda me agrada mas não agrada a Pequena e vice-versa, isso nos faz abrir um leque de bandas para todos estilos e gostos.
Enfim, certo dia um perfil no twitter gringo nos pediu pra ouvir seu som, era o perfil de Ben Draiman, um musico americano. Ouvi e a primeira impressão foi, "nunca ouvi nada igual", o musico consegue colocar uma emoção unica em sua musica, ligando linhas de piano, um vocal expressivo e cheio de emoção além de uma guitarra distorcida e bateria.
Depois das primeiras conclusões, me peguei pensando que conhecia esse nome de algum lugar, ao pesquisar e ler um pouco sobre o musico, descubro de onde: Ben é irmão de David Draiman, vocalista e fundador da banda Disturbed, apesar do parentesco a musica de Ben é totalmente diferente e bem mais calmo e leve do que o irmão faz no Disturbed. Mesmo no cover que faz do Disturbed, Ben reformula a musica de uma maneira que fica praticamente irreconhecível! Se você esta esperando algo no estilo da banda, não se iluda, aqui a coisa é menos vertiginosa, sem nenhum pé no metal, é um rock experimental, -não sei se é possível usar outro rotulo no estilo do cara- e isso não torna menor o seu trabalho, pelo contrário.

A musica do cara ser diferente do que o irmão produz a anos não é algo ruim, é algo muito positivo pois temos em mãos algo novo, com identidade. Como o musico e algumas publicações sobre ele o intitulam, é um rock melódico, emocional e muito bem produzido.
Ben recentemente lançou seu EP, The Past Is Not Far Behind que traz seis musicas que te fazem viajar pelas emoções e pelos ritmos desse estilo único criado pelo musico. O EP rendeu clip para musica Avalanche que contém um dos riffs mais legais que já ouvi além de uma melodia linda no piano e uma letra existencial que te faz parar pra refletir no fim... O clip é bem produzido, com uma fotografia linda que encaixa perfeitamente com tudo que eu falei sobre a musica antes, Soon Enough também ganhou um clip, mais simples, com os músicos no estúdio, coisa que não tira o brilho da musica ou do vídeo que da uma proximidade maior ao processo de criação dessa bela canção.

Em The Past Is Not Far Behind ainda pode encontrar musicas incríveis como 21 Seconds, a que mais curti de todas com uma letra que diz muito sobre discussões e palavras ditas sem pensar, com um ritmo melancólico e uma bateria direta esse som é incrível e Would You Know Love? que te faz um questionamento sincero sobre esse sentimento tão exigente que é o amor, com uma melodia mais agressiva deixa claro quanto amar pode machucar. Poderia discorrer sobre todas as musicas do EP sem problemas mas aqui estamos para apresentar o trabalho do cara e não fazer release. (Quem sabe numa próxima?!)
Além desse EP e de singles já lançados, Draimen costuma fazer covers impressionantes com uma leitura intimista e muito emocionante, muitas vezes com uma roupagem unica que nos faz pensar ser realmente uma musica nova.
Finalizando, Ben Draiman faz um som único, onde não consigo pensar em nenhuma banda comparável, o que ao meu ver, se aproxima mais da sonoridade dele é o Keane e mesmo assim estão a quilômetros de distancia em sonoridade e tudo mais, se você procura algo assim, cheio de emoção, reflexão e questionamento com uma sonoridade melodiosa, sincera e intimista, certeza que vai curtir e muito o trabalho do cara e se não procura nada assim, esculta as musicas dele, certeza que irá se surpreender.

06 outubro 2013

23+: Baixistas


Fala pessoas dumal e pessoas nem tão dumal assim! Hoje com muito orgulho inauguramos a nossa lista, a +23, sim entraremos no mundo das listas também, temos coragem pra isso. Nossa lista terá um critério básico, serão sempre os 23 mais importantes alguma coisa, com direito a rápidas menções honrosas.
Começaremos nossa lista pelo instrumento que faz, e muito, nossa cabeça, o baixo. Esse instrumento de som único que da força ao rock -não importando o gênero dentro desse estilo de musica tem importância fundamental. Esta lá encorpando a musica, dando força e fazendo a cozinha junto com a bateria. Muitos nem percebem o som do baixo, outros não dão a importância que merece mas nós do Attitude23, temos preferencia por esse instrumento e por isso o usaremos pra inaugurar essa bagaça, deixando claro que não estamos aqui dizendo que são os melhores baixistas e sim os que são mais importantes, pelo menos pra nós. Tentamos colocar os baixistas que mais tiveram importância no rock e os que mais fazem nossa cabeça, como somos duas pessoas neste blog, a escolha e votação dos baixistas foram bem abrangentes, tornando a lista bem ampla e eclética, esperamos que curtam e se discordarem, pedimos que se sintam a vontade pra comentar, com educação é claro, e dar sua opinião.
Tudo dito e explicado, vamos começar essa bagaça logo: