28 novembro 2016

Rock & Literatura: Saga O Senhor Dos Anéis (Lord Of The Rings)-J. R. R. Tolkien (Parte 10)

E aqui estamos na fucking parte 10 de musicas e afins inspiradas em Senhor dos Anéis, aqui chegaremos a 50 fudendo bandas, é musica pra caraleo!

Simbora então:


Fistborn Evil: Essa banda de black metal portuguesa nos brinda com The Curse Of The Noldorin (o som que abre o álbum acima), um som obscuro e violentamente brutal que trata dos Noldorins ou Noldos, um povo elfico que além de serem os mais preparados e estudiosos eram também os mais orgulhosos, a historia é longa e precisa de pesquisas de quem se interessar, e acredite, vale a pena pesquisar e ler sobre;


Beau Brummel: Os americanos do Beau Brummel fizeram um rock sessentistas na decada de sessenta em homenagem a Galadriel com o exótico nome de Galadriel;


Tyrael: Voltando ao lado negro da Terra Média, o Tyrael nos traz esse black metal cru e sem frescura para falar de Isengard, em To Isengard. A letra em alemão deixa tudo ainda mais bruto;


OHMphrey: Esse supergrupo encabeçado por Chis Poland (ex-Megadeth), toca só musicas instrumentais com uma pegada de rock progressivo. A homenagem veio no som Tom Bombadil que nem citar que personagem homenageia, pelo menos no rock Bombadil aparece, já que nos filmes deixaram o cara de fora;


Cirith Gorgor: E pra finalizar que tal um pouco de black metal holandês de qualidade? É isso o que o Cirith Gorgor é e faz. A influencia da Terra Média já vem no nome da banda, Cirith Gorgor são as muralhas ao norte de Mordor. Algumas musicas da banda trazem temas ligados a história do Um Anel, logicamente como toda e qualquer banda de metal extremo, traz o lado obscuro da trama. Shadows Of Isengard é uma dessas musicas e é brutal e du caralho, perfeita pra fechar essa parte.

23 novembro 2016

A Lama

Arte: Franci

10 novembro 2016

Trues Black Metals

Em 2003, Peter Kubik, também conhecido como Vírus 666 e P.K., guitarrista e um dos fundadores do Abigor (banda austríaca de black metal) revelou durante o anuncio de encerramento da banda que eles não se identificavam mais com o black metal pois os fans do gênero não aceitavam nada novo, estavam presos aos velhos valores. 
O Abigor encerrou suas atividades naquele ano mas em 2007 já se reuniram de novo e encararam os fans lançando trabalhos com uma sonoridade diferente do que estavam acostumados a lançar. A banda costumava a fazer um black metal mais cru e depois da pausa faz um som com um certo experimentalismo, até uns elementos de metal industrial é possível achar em Fractal Possession. Nos álbuns seguintes eles foram misturando esses elementos e trazendo um som que até os puristas começaram a apreciar.
Fractal Possession-O álbum da discórdia
Mas voltando ao que Peter Kubik disse, ele teve razão no discurso e a prova disso foi a não aceitação de Fractal Possession por parte dos fans mais puristas, os Trues. Os caras são incapazes de ver se o som é bom ou ruim, se não fizer algo nos velhos moldes, e muitas vezes esses velhos moldes tão bem aceitos pelos caras são mal executados trazendo um som tosco e pobre mas endeusado por ser "true black metal". 
Usei o Abigor como exemplo, pois nas suas experimentações, em momento algum a banda abandonou suas ideologias obscuras e nem mesmo nos trouxe algo ruim, pelo contrario, se der chance ao trabalho mais ousado da banda vai encontrar um black metal bruto capas de fazer nosso ódio brotar, como um bom black metal deve fazer.
Como um fan da arte profana, peço para quem também é fan começar a abrir a mente para o novo para essa arte não parar no tempo e começar a viver do mesmo, pois o que não se renova, envelhece e o que envelhece, morre.

03 novembro 2016

A Moral da História Metal

Há um tempo atras alguns integrantes do Angra participaram do programa Bem Que Se Kiss, apresentado por Bruno Sutter e Marcelo Andreassa na KissFM. O programa, para quem não conhece, consiste em um bate papo entre os apresentadores, convidados e a participação do publico ao vivo, pelo site da rádio, pagina no Facebook e streaming do YouTube. Toca musicas direto da coleção de vinil dos caras e é bem interessante, de verdade.
Enfim, voltando a participação dos membros do Angra no programa (tentei achar o programa para ilustrar o texto mas não achei), só não contou com o vocal Fabio Leone, os outros integrantes todos compareceram, alguns chegando atrasados mas compareceram. Leone não pode comparecer porque na época estava em tour com o Rhapsody Of Fire.
Por conta da ausência do Leone, a banda estava anunciando no programa seu show no Rock Na Praça: IV Edição. O show contou com 3 vocalistas para substituir o já varias vezes mencionado Leone. Os vocais foram, Bruno Sutter, BJ e Aurílio Netto
Assistimos o programa pelo streaming no YouTube (também é possível ouvir pela rádio no rádio, app de celular ou site da KissFM), e por conta disso acompanhamos os comentários de quem também assistiam. Os comentaristas não eram muitos, na verdade pelo que pude acompanhar eram uns cinco caras que ficavam comentando sem parar e as outras pessoas faziam um comentário ou outro.
Esses cinco caras só ficavam se repetindo, falando que tal vocal deveria substituir Leone e que por conta do Leone não ser brasileiro ele não deveria estar na banda, quando tive tempo e saco para comentar perguntei se eles não haviam gostado do trabalho do cara junto a banda, o ultimo álbum, Secret Garden. A resposta que tive "foi que foi um dos melhores álbuns que o Angra já lançou", daí comecei a indagar o porque que querem tirar o vocal que fez um excelente trabalho na banda por outro, as respostas foram no minimo sem sentido, "porque ele é velho", "porque tem que ser um vocal brasileiro" e até um "porque sim". Fiquei sem entender mas isso me fez pensar.
Meses depois resolvi escrever esse texto porque pude chegar a uma conclusão desta historia toda, pra mim isso tudo funcionou como uma historia com uma moral no final. 
O metal nacional tem muita gente curtindo e esta sempre lançando coisas muito boas porém poucas pessoas criticam, entretanto essas poucas pessoas conseguem fazer bastante barulho e não tem o minimo nexo o que elas reclamam. Muitas vezes acreditam que seus gostos pessoais ditam se algo é bom ou ruim e não é bem assim que funciona, só porque não gosto de uma banda ou de uma fase dela, isso não quer dizer que ela é ruim, não sou um deus para cagar regra e você também não.
Não seja chato, aprecie o que você gosta e o que não gosta, veja se é realmente ruim ou não e se algo esta funcionando bem, não procure chifre em cabeça de cavalo e se você prefere procurar tal chifre, abaixe e vá chupar tal cavalo.