29 janeiro 2017

Apresentamos: Apathy And Perishment- Lelantos

Todos curtimos um doom, não é? Não é? HEIN? Não ouvi sua resposta ainda.... ANDA FALA PORRA!
Muito bem, ouvi as vozes da minha cabeça dizerem que você respondeu sim e por conta disso guardarei meu machado.
Voltando ao doom e deixando minha esquizofrenia de lado, o doom com seu jeitão arrastado tem poucos representantes nacionais e ultimamente poucas bandas do gênero tem surgido por nossas terras. Porém quantidade não é o mesmo que qualidade, nosso doom é bem representado e agora mais ainda com o Lelantos.
O Lelantos é uma banda independente do Rio Grande Do Sul que surgiu no ano passado. Lançaram um álbum também no ano passado, chamado Akrasia e nele temos as canções entregues como em Atos, sendo um preludio e cinco atos, contabilizando seis sons contendo tudo que se espera de um bom doom, cheio de atmosfera, letras tratando filosofia e existencialismo e uma gigantesca depressão. O som que trazemos é a faixa 5 de Akrasia, o Ato 4, Apathy And Perishment:

27 janeiro 2017

Agora É Cinza

Arte: Franci

23 janeiro 2017

Álbuns Que Contamos Com o Vocal do Max Cavalera

Max Cavalera é um dos grandes nomes do metal, o cara tem o respeito tanto internacional quanto nacional do cenário headbanger e influenciou uma caralhada de músicos. O mais legal disso tudo é que o cara mostra um grande respeito pelo seu país de origem, o nosso Brazil, usando influencias nacionais em suas composições, em seus shows o cara toca até um berimbau, e até mesmo cantando em português em alguns sons. 
Se formos olhar mais diretamente, o Max Cavalera é um dos brasileiros que mais divulgam nossa cultura entre gringos pois suas bandas tem visibilidade mundial e seus shows são frequentados por gringos e não por apenas brasileiros que moram em outros países. Pois é, o metal representa o nosso país melhor mas não recebe o minimo respeito aqui no nosso país que culturalmente vive da mediocridade...
Enfim, vamos ao que interessa que é mostrar os álbuns em que o cara solta a voz:

Bestial Devastation (1985)

O EP de estréia do Sepultura foi lançado como um split com o EP Século XX do Overdose. O som era bem extremo puxado pra um death no nível Possessed. Por falar em Possessed o Max se denominava Max Possessed Cavalera e nenhum dos caras tinha instrumentos próprios, todos instrumentos aqui usados eram emprestados;
Morbid Visions (1986)

O primeiro álbum do Sepultura é tosco mas extremamente violento e sujo. Aqui a sonoridade da banda ainda está no estilo de bandas como o Possessed e Celtic Frost mas os caras já adotaram seus nomes próprios, Max aqui já não usava o "Possessed" no nome. No relançamento pela Roadrunner Records o álbum ganhou de bônus as musicas do Bestial Devastation;
Schizophrenia (1987)

O segundo álbum do Sepultura foi o primeiro a contar com Andreas Kisser na banda. Talvez pela entrada do guitarrista ou por influencias do thrash que estava em alta na época, a banda aqui já tomou esse caminho;
Beneath The Remains (1989)

O primeiro álbum gravado pela Roadrunner Records foi de sucesso mundial e contou com a produção de Scott Burns que já havia trabalhados com bandas como Morbid Angel. Burns veio para o Brasil para as gravações e foi assaltado em nossas terras;
Arise (1991)

O maior sucesso de critica da banda onde as experimentações da banda e de Max de fato começaram a aparecer. Aqui a banda começou a flertar com hardcore, metal industrial (que nessa época ainda estava engatinhando) e até mesmo com musica brasileira. Arise foi o primeiro álbum do Sepultura a receber grande investimento da gravadora e foi gravado ainda por Scott Burns mas agora na Flórida, em um estúdio de qualidade. Esse é um dos meus álbuns prediletos e vale muito ser ouvido;
Chaos A.D. (1993)

Aqui as experimentações foram ao além e o som já foi considerado por muitos como de groove metal. Groove ou não, o som desse álbum influenciou de groove a nu metal passando por uma caralhada de gente pelo caminho;
Roots (1996)

Depois do maior sucesso de crítica chegamos ao maior sucesso da banda. Roots foi o auge do Sepultura e isso é inquestionável. Roots Blood Roots se tornou o grande clássico da banda, sendo tocada por ambos os lados (Sepultura pós saída dos Cavaleras e Soulfly e ainda Cavalera Conspiracy). Muitos fans do Sepultura antigo torcem o nariz para Roots porém todo mundo reconhece que esse álbum é um marco na historia do metal e merece muito reconhecimento.
Point Blank (1994)

O Nailbomb foi um projeto de Max Cavalera com participação de alguns outros músicos. Esse projeto rendeu apenas um álbum de estúdio mas Point Blank é uma porrada que merece ser ouvida.
Soulfly (1998)

Após sua saída do Sepultura, Max voltou com sua nova banda e ela traz aquela musicalidade que Roots trazia com um tanto mais de experimentações. O álbum de estreia do Soulfly serviu para mostrar qual seria o rumo dos novos trabalhos de Max;
Primitive (2000)

Com produção e participação de Sean Lennon (filho de John Lennon) Primitive teve uma caralhada de participações especiais, Tom Araya (Slayer), Corey Taylor (Slipknot/ Stone Sour) e Chino Moreno (Deftones). Esse álbum é bem coezo e está entre meus prediletos;
3 (2002)

Em homenagem as vitimas do atentado ao World Trade Center o álbum tem a faixa 9-11-01 que é um minuto de silencio no álbum. Esse álbum traz um dos grandes clássicos da banda, Seek N' Strike;
Prophecy (2004)

Em Prophecy Max testou suas influencias de vivencias do mundo. Nesse álbum é possível você encontra influencia de tudo que é tipo de musica do mundo. O álbum foi bem recebido pela critica;
Dark Ages (2005)

O álbum do Soulfly mais voltado ao thrash metal. Com citações em russo na musica Molotov;
Conquer (2008)

O sexto álbum do Soulfly foi bem recebido pela critica e publico e as experimentações aqui continuarão. O álbum ganhou uma versão especial com cover de Marilyn Mason e Bad Brains;
Omen (2010)

Omen fez com que alguns fans do antigo Sepultura começassem a olhar com bons olhos para o Soulfly. A sonoridade mais agressiva e poucos momentos de experimentações fez a cabeça de uma galera aí. Muita gente atribui isso ao reencontro dos irmãos Cavalera. Na versão especial do álbum traz musicas com os filhos de Max tocando algum instrumento;
Enslaved (2012)

Aqui a porra ficou ainda mais séria, com uma formação nova o Soulfly lançou um álbum com influencias extremas e poucas experimentações. Com participação de Dez Fafara (DevilDriver) e de vários dos filhos de Max em uma canção, aqui Max mostrou que é sim um grande nome do metal e que sua prole vai dar um pleno futuro no metal e pro clã Cavalera;
Savages (2013)

O caminho seguiu o mesmo do álbum anterior, com uma pequena diferença, o baterista nesse álbum é Igor Cavalera, filho do Max. A bateria é um tanto quanto mais simples mas isso não quer dizer que é ruim, Igor sabe como impor a pancadaria e nada aqui deixa a desejar;
Archangel (2015)

O ultimo lançamento da banda até então traz mais pancadaria num tom meio que conceitual, já que as letras em sua maioria tratam sobre o primeiro testamento;
Inflikted (2008)

Foi algo que chamou a atenção até de quem não curte metal, "os irmão Cavalera se unirão, fizeram uma banda e estão lançando um álbum que é uma pedrada violentaça". Inflikted chamou a atenção e foi merecidamente muito bem recebido;
Blunt Force Trauma (2011)

O segundo álbum de estúdio dos irmãos Cavalera trouxe outra predada nos mesmos moldes do anterior e mais uma vez foi bem aceito;
Pandemonium (2014)

Aqui a velocidade foi elevada e o groove meio que deixado de lado. Em uma entrevista Max brincou falando que estava tentando cansar o Igor fazendo ele tocar sempre como se ele tive-se 15 anos;
Killer Be Killed (2014)

Banda formada com Max na guitarra e vocal,  Troy Sanders (Mastodon) vocal e baixo, Greg Puciato (Dillinger Escape Plan) guitarra e vocal e  Dave Elitch (ex-Mars Volta) bateria;
Além disso tudo, Max também fez participações em projetos de outros músicos, dublou monstro em filme e até fez ponta em jogo de vídeo game mas isso é assunto pra outro post e esse aqui serviu para mostrar que o metal nacional está bem representado com um cara que trabalha em vários projetos impondo nossa cultura e mostrando que o metal é uma forma de arte e que representa o Brasil sim. 

17 janeiro 2017

Apresentamos: In Spirit I Suffer- Carpatus

Como já venho muito me repetindo e mais uma vez irei repetir, o metal extremo nacional é foda. Mais uma prova disso é Carpatus, uma banda de black metal da grande São Paulo que tá na ativa destruindo tudo e no ano passado lançou um álbum, Malus Ascendant.
O som difícil de encontrar por aí que trazemos para vocês é de In Spirit I Suffer, faixa numero nove do álbum Out Of The Desolation Planet de 2003. O som é um black metal seco, brutal e de qualidade. Melhor que explicar é ouvir, então esculta que é foda:

15 janeiro 2017

Clip23: Screeches From The Silence- Sarcófago

E aí cambada. Quem aí gosta de Sarcófago? Se alguém respondeu não é porque não conhece bem a banda. 
O Sarcófago é uma das bandas que mais influenciou outras bandas no mundo. Sério, de tudo que é canto do mundo que tem uma banda tocando metal extremo, tem uma ponta de influencia do Sarcófago.
O mais interessante é que o Sarcófago influenciou a todos sub gêneros do metal e ainda é capaz de gerar uma certa discussão. Tem os que consideram a banda de death metal (eu faço parte desse grupo) e os que consideram black metal. Quanto a isso tenho uma explicação, a galera que considera Sarcófago black metal o faz pensando nas questões de algumas letras, da postura que a banda tinha e do uso excessivo de elementos satânicos e anticristão mas a banda manda mesmo um death metal oitentista, na verdade os caras são a vanguarda do death, assim como Morbid Angel. Aliás, junto do Morbid Angel eles ditaram alguns elementos que até hoje são muito mas muito mesmo utilizados no gênero, como o blast beat (a bateria também conhecida como metralhadora), uns sons mais cadenciados com uma certa dose de doom e as pedradas que tanto amamos.
Enfim, vamos ao assunto central do post que é o clip da musica  Screeches From The Silence, uma produção simples mas sincera que foi gravado em 1991 e deixa os videos de outras bandas nacionais do mainstream daquela época no chinelo. Enfim, esse som vem do terceiro álbum da banda, The Laws of Scourge, que trouxe uma mudança no som e nas letras da banda, tornando mais abrangente e mais tecno mas uma pedrada na orelha mesmo assim. Screeches From The Silence é um som e tanto e paremos de alongar esse texto, bora curtir o som logo porra:

13 janeiro 2017

MX VS ATV Reflex E Minha Epopeia De Erro De Região

Como todos que frequentam esse blog devem saber, eu sou um felizardo dono de um XBox 360. Fica fácil perceber isso com os nossos gamescore ali no cantinho da tela (aparece para quem está acessando por um pc). Enfim, por esse gamescore da pra ver que possuo uma boa quantidade de jogos para o console e amo isso pois posso curtir jogos de diversos gêneros e tudo mais por um preço agradável e muitas vezes gratuitos, graças ao programa Games With Gold da XBox Live. O programa Games With Gold me dá mensalmente 4 jogos, 2 de XBox 360 e 2 de XBox One, mesmo não possuindo o console ainda posso ficar com o jogo para no dia que compra-lo baixá-lo e desfruta-lo.

Explicações dadas sobre o Games With Gold, vamos ao que quero contar. Em Outubro foi liberado para download o jogo MX VS ATV Reflex, um jogo de corridas de motos e quadriciclos offroad da THQ. O jogo estava com problemas para download, quem tentava baixar pelo console recebia a mensagem de erro de região (para quem não sabe o que é, o XBox 360 tem bloqueio de região, ou seja, jogos de um determinado local não roda no console de outro local, exemplo um jogo japonês não vai rodar no seu console nacional), o download só era liberado para quem adquiria o jogo pelo site da XBox Live e deixava o download automático acontecer no console. O caso é que depois dos 5GB de download acontecer, você tentava abrir o jogo e a mensagem de erro de região aparecia. Sim isso me irritou pra caralho.
E aqui começamos a minha epopeia. Quando chequei o problema tentei entrar em contato com a XBox Live por meio de chat, descobri que aquela desgraça estava totalmente congestionada, o tempo de espera para ser atendido seria de pelo menos meia hora, cheguei a conclusão que BR é foda. Mas o lado positivo surgiu, você podia deixar o numero de telefone para te ligarem assim que possível. Dormi, faço muito isso, e acordei sei lá quanto tempo depois com o telefonema de um atendente da Live. O cara me explicou que esse problema já aconteceu em outros países e que essa era a primeira vez no Brasil (um detalhe bem interessante, o atendimento da Microsoft é de Portugal e portugueses não falam português), que mantive-se o jogo e tenta-se rodar de vez em quando pois pode ser que com uma atualização pode ser que o problema seja solucionado... Mantive o jogo no meu HD e diariamente tentava roda-lo e recebia a mesma mensagem, até o dia que desisti e taquei o foda-se pro jogo.
Um tempo depois, sei lá quanto, houve uma atualização e pensei, vai que né. Apaguei o jogo e baixei novamente para dar de novo com burros nágua. 
Mais um tempo depois descobri que o problema não acontecia com quem tinha XBox One porque o console não possui trava de região. Resolvi reclamar novamente. Liguei no atendimento e falei com um português bem mal humorado que foi mal comido no dia anterior e pediu para aguardar pois estavam trabalhando no problema. Pois bem, esperei e deixei o jogo lá num cantinho do meu HD. 
Mais algum tempo depois um atendente entra em contato comigo quando nem lembrava mais do assunto e pede para apagar o jogo e baixa-lo de novo pois o problema já estava resolvido, e adivinhem só, baixei saporra no momento que minha internet enfrentava problemas e estava mais lerda que o seu cérebro para descobrir que o problema persistia o mesmo de sempre.
Depois de tudo isso, apaguei o jogo do meu HD e mandei uns twits revoltados pra Microsoft e deixei pra lá. O ano acabou, um novo anos começou e as promoções apareceram e vejam só, MX VS ATV Reflex estava lá, em promoção! Logo refleti, se está vendendo é porque ta funcionando e lá se vai eu baixar de NOVO! E adivinhem só caros miguxos, A PORRA DO MESMO PROBLEMA PERSISTIA!!!!!
Como eu sou brasileiro e amo uma treta, liguei para o atendimento da XBox Live e vejam só, fui bem atendido e por um português que sabia falar português de verdade. O cara foi prestativo e me explicou que o problema não tem como ser resolvido pela Microsoft pois vem da publisher do jogo, me pediu um momento pois precisava falar com seu gerente e voltou me oferecendo 2 meses de Xbox Live Gold por conta dos transtornos causados. Isso é, me deram 8 jogos em troca de um problemático, já que cada mês de Gold equivale a 4 jogos gratuitos como já expliquei alí pra cima. 
Finalizando, passei muita raiva com o acontecido, ainda mais pela falta de informação de alguns atendentes e até mesmo da própria Microsoft mas no fim fui recompensado e bem recompensado. Sai com um sentimento de que recebo algum respeito da marca e isso é alguma coisa.

11 janeiro 2017

Consultoria Com Edu Falaschi

Essa noticia é mais para quem tem alguma banda e quer dar um up nela nesse ano novo, para isso você contará com a consultoria do Edu Falaschi via Whatsapp.
Sim, um dos maiores músicos nacionais e de reconhecimento internacional, como todos sabem, está dando a chance de você consulta-lo com dicas para seu som, de técnicas vocais, estratégias de marketing e coisas do nível para sua banda e muito mais. Enfim, até analisar o seu som ele poderá fazer, caso você venha a pedir.
Tudo funcionará por meio de mensagens pelo Whatsapp e claro que isso terá um preço e acreditamos que não será muito barato mas é um suporte e tanto para sua banda.
Maiores informações na página do Facebook do Falaschi.

09 janeiro 2017

Conferencia Sony na E3 2016


Depois de algum tempo vamos dar continuidade a saga da E3 desse ano. Já falamos das conferencias da Electronic Arts, Bethesda, Microsoft e Ubisoft e agora chegou a vez da toda poderosa Sony. 
Na noite do dia 13 de junho a empresa se apresentou. Uma hora e vinte minutos foi o tempo que os japoneses usaram e usaram muito bem. Com um palco que lembrava um espetáculo de teatro com cortinas se abrindo e orquestra, a porra foi bem séria.


E logo de cara vem o trailer do carro chefe da Sony desde o Playstation 2, o novo God Of War. No trecho do jogo mostrado pudemos ver um Kratos mais velho acompanhado por um filho em meio ao que seria a mitologia nórdica. Em um certo trecho um monstro avisa que ele nunca alcançará o Valhalla, o que pode ser a deixa para o que Kratos procura alí. O jogo aparentava ser mundo aberto mas, ainda bem, foi avisado pelo diretor da produção que não será mas terá caminhos alternativos. A câmera será livre agora, o que mudará um tanto bom na jogabilidade que dessa vez mostra um Kratos mais lento. Ao que tudo indica, o jogo focará dessa vez na relação pai e filho mas tem muitas especulações para poucas informações ainda e o jogo esta em pré-produção, ou seja, sem previsão de lançamento e o nome que temos dele é apenas God Of War;


Então veio uma CG de Days Gone onde o personagem passa o panorama da situação em que vive. Esse vídeo é bem bonito e deixa claro que o personagem é um motociclista da linha mais moderninha da coisa, tipo o Jax do Sons Of Anarchi. No final da feira esse mesmo game recebeu um gameplay e nele pudemos ver que graficamente o jogo lembra um pouco The Last Of Us e de certa forma o drama tenta ser parecido...trata-se de um jogo em terceira pessoa de mundo aberto com infectados no estilo dos que aparecem no filme Dia Z. Foi dito até agora que o dia e a noite afetam as condições do jogo e que você pode explorar o mapa como melhor lhe apetecer;


Chegou a hora de mais um trailer, agora The Last Guardian, aquele jogo que esta em produção desdde o Playstation 3. O jogo é uma continuação espiritual de Ico e Shadow Of The Colosus e esta em produção a muito mas muito tempo mesmo, desde 2007 para sermos mais exatos. O jogo foi lançado em dezembro, estava prometido para outubro, sim mesmo depois de quase dez anos o jogo ainda ganhou um pequeno adiamento. Enfim, mesmo com todos os problemas técnicos que em alguns casos, mesmo na geração passada não eram encontrados, o jogo teve uma boa aceitação por focar mais na poesia de suas historia que traz a relação entre um garoto e um grifo;


Mais uma nova franquia aparece, Horizon Zero Dawn ganhou um gameplay dessa vez. O jogo se passará em um futuro governado por maquinas onde a personagem central usará uma tecnologia rudimentar para poder lutar. Sim, lembra bastante Enslaved. O jogo é de mundo aberto e traz algo novo que se realmente for bem explorado merece ser visitado. Esta prometido para o inicio do ano;


Então veio um trailer de Detroit Become Human, mais um jogo de escolhas da da Quantic Dream e dessa vez eles prometem uma caralhada de ações para cada situação com uma história focada em robótica e inteligencia artificial. Foi mostrado uma demo na BGS onde um sistema de investigação forte se mostrou importante para o andamento das escolhas e que o jogo tem uma evolução natural dos outros titulo da mesma empresa;


Daí veio sem maiores explicações o trailer de Resident Evil VII. Bom já vimos diversas demos do game e o hype só se multiplica. Procurando por aí já se pode encontrar gameplays do jogo final e comentários de críticos mas sinceramente, para mim não é Resident Evil. Não estou aqui falando que o jogo é ruim, longe disso, aparentemente vem um grande game por aí mas não tem nada a ver com os outros títulos da série que somando aos spin offs mais importantes e esquecendo as desgraças que a Capcom lançou como spin off, somam mais de 10 títulos. Apesar de um ou outro elemento, o jogo pelo que foi apresentado até agora, não traz nada da saga mas resta ver o que virá do resto do jogo;


Uma coisa que todas produtoras estão tentando nos empurrar de todo jeito possível é esse negócio de óculos VR. A tecnologia ainda tem muito para evoluir e os jogos até agora não se mostraram grande coisa. Muito disso por conta de manter o jogador preso enquanto o jogo se move por si só, sei lá, isso é chato demais pra mim. A menos que usem o cérebro e fação um jogo de corrida onde veremos o cockpit do carro em 3 dimensões ou um de avião, coisas que se movem enquanto ficamos parados dentro funcionariam bem para isso. Mas enfim, no momento de mostrar o que estão aprontando para essa tecnologia apareceu Farpoint, um shooter futurista onde aparentemente o personagem se moverá sozinho e você será responsável pela mira, o gráfico é bonito e a arma que aparece no trailer parece muito com as de Destiny;


Seguindo a linha do VR, veio Star Wars Battlefront X-Wing VR Mission. Apesar do nome enorme, o jogo é apenas uma missão a bordo de uma nave rebelde X-Wing;


E até pro bom e velho Batman sobrou esse trem. Batman Arkhan VR que já foi lançado até;


Final Fantasy XV ganhará sua versão VR também, o que ficou claro, deixará o jogo bem limitado mas pelo menos você poderá conferir boobs...;


E aquele momento que os fans de Crash Bandicoot molharam suas calcinhas chegou. pois foi anunciado que o personagem fará parte do elenco de Skylanders Imagination...


...Eeee que, advinha só. Isso mesmo, mais remasterização mas nesse caso até que legal, já que é jogo antigo de verdade e tals. Crash Bandicoot N Same Trilogy foi anunciado e nele temos os 3 jogos do personagem totalmente remasterizados;


Daí um trailer bem comico do Lego Star Wars The Force Awakens foi passado. O jogo foi lançado já e é tudo o que os fans dos jogos Lego podem esperar, piadas sem apelação para toda família, ação simples e um mundo de Legos;


Um dos momentos mais aguardados de todos chegou e Hideo Kojima subiu ao palco para apresentar seu novo jogo, Death Stranding. No trailer rápido e cheio de emoção como só Kojima sabe fazer, vemos um personagem feito da captura do ator Norman Reedus, o Dario de Walking Dead, pelado e interagindo com um bebe... O caso é que essa parceria já era aguardada já que vem desde o Silent Hill que a Konami cagou em cancelar. Agora já sabemos que o ator Mads Mikkelsen e Guilhermo Del Toro também participam do projeto;


Então veio um trailer rapidissimo de um jogo do Homem Aranha produzido pela Marvel e exclusivo de PS4. O jogo ainda está com titulo provisório de Spider-Man PS4 e não se sabe muito do que está por vir;

E fechando com um enorme gameplay de Call Of Duty Infinity Warfare que já lançou e todo mundo sabe o hate que sofreu mas mesmo assim vendeu pra carai! A Sony foi direto ao assunto e mostrou serviço quanto a jogos novos mas não falou muito em inovação, o que tratou só depois em outras feiras.