24 fevereiro 2017

Planta Superando a Arte

Arte (haha): Franci

22 fevereiro 2017

Temos Vagas do Lollapalooza

Você apóia o rock nacional? O nosso underground? Contando que sua resposta seja sim, assim espero, torço para que esse sim seja sincero, que você compre CDs, vinis ou use o download legal ou ao menos escute os caras numa dessas plataformas de streaming, que você compre estampas e o mais importante, que vá aos shows dessas bandas sem ficar reclamando que teve que pagar mais de R$30,00 sendo que para uma banda gringa, que muitas vezes tem qualidade duvidável você paga pelo menos 5 vezes esse valor pra ir.
Apoiar a cena não é só falar, é fazer alguma coisa por ela. Você pode começar dando um pequeno empurrãozinho nessas bandas no Lollapalooza junto da Rádio 89.
O festival está com uma iniciativa que abre espaço para bandas undergrounds do nosso cenário, o Temos Vagas. Basta acessar o site http://www.radiorock.com.br/temosvagas/ e votar nas bandas que lá estão usando seu Facebook (é seguro e não demora nada), tem muita coisa legal de diversos gêneros e você pode inscrever bandas por lá, mais um apoio que você pode dar pra cena.

Por falar em apoio, gostaríamos de indicar a banda Santillo para seu voto ( http://www.radiorock.com.br/temosvagas/santillo ), o trabalho dos caras é muito bom e se quiser ler um pouco temos um post sobre eles aqui no Attitude23: Santillo: Rock Com Personalidade.
Finalizando, vamos apoiar nossa cena pois temos ótimas bandas mantendo a chama viva, basta alimentarmos o fogo para destruição ser geral.

20 fevereiro 2017

Curiosidades musicais de Guitar Hero Warrior Of Rock

Os games musicais caíram em desgraça, muito por conta de alguns deslizes e também por não conseguir se renovar com o passar dos anos, pra mim isso é uma pena pois curto bastante pegar minha guitarra de plástico e sair bancando um metal god pela casa.

Guitar Hero Warriors Of Rock, que foi o sexto game da franquia, fora os spin-offs, foi lançado na época do declínio desses games e infelizmente não obteve o sucesso esperado pela Activision que acostumada com as vendas brutais dos Call Of Dutys da vida, foi logo fechando os estúdios responsáveis pelo game. 
Mais uma vez digo, uma pena pois esse jogo foi muito bacana e teve várias coisas legais para quem igual a eu curte o bom e véio rock n' roll:

A primeira leva do jogo foram vendidos junto da coletânea Telephantasm do Soundgarden e no jogo vinha uma musica inédita da banda, Black Rain, que não lançava nada novo a uns 10 anos;

Dave Mustaine do Megadeth escreveu uma musica especificamente para o jogo, Sudden Death foi a musica final do game e segundo o próprio Mustaine, foi uma dos trabalhos mais difíceis que já teve. Sudden Death foi relançada posteriormente como musica de abertura do álbum Th1rt3en da banda;

Alice Cooper regravou No More Mr. Nice Guy especificamente para o jogo;

Runaways regravaram Cherry Bomb especificamente para o jogo também;

Na playlist do jogo há o álbum mais que clássico 2112 do Rush completo e com direito a narração da banda no trecho em que o álbum é tocado;

Um modo quest foi adicionado ao jogo e quem o narrou foi Gene Simmons do Kiss.
Guitarra customizável que se torna o baixo do Gene Simmons

O jogo tem 93 musicas em disco e mais uma caralhada de musicas para download, além de ser possível baixar musicas dos outros jogos da franquia. Saiu em 2010 para a antiga geração, XBox 360, Playstation 3 e na versão do Wii o jogo ganhou um mini-game jogável pelo DS, onde quem estiver com o console de bolso pode bancar o roadie de quem estiver tocando. O jogo era bem promissor e trouxe bastantes mudanças na sua jogabilidade e tudo mais mas aqui queria me ater as curiosidades musicais dele e como algo tão caprichado e interessante não conseguiu alcançar o sucesso que merecia, chega ser curioso isso e como já disse, uma pena.

18 fevereiro 2017

Clip23: Era- Opeth

O Opeth é uma das bandas mais respeitadas da atualidade, os caras tocam um metal difícil de rotular, o que o torna ainda mais especial na minha sincera opnião, alguns os rotulam como Metal Progressivo mas os caras vão além disso, usam várias influencias nos seus sons e a cada álbum que lançam você não sabe exatamente o que esperar, os caras já passaram por grandes transformações, até mesmo no modo do vocal cantar, de gutural pra limpo, sem deixar em nada a desejar.
Enfim, os suecos lançaram o álbum Sorceress ainda no ano passado e como já disse o álbum mais uma vez surpreendeu a todo mundo com influencias de jazz no som, um álbum conciso e para muitos o melhor do ano.
Era é uma musica desse álbum citado, é visceral, algo bem diferente, uma musica que vai crescendo aos poucos mas já começando grandiosa, algo que pode ser considerado progressivo mas que vai além um pouquinho. O clip viaja nisso e como na letra te dá uma noção de renovação, de um fim e inicio de uma nova era, O clip deixa espaço para interpretações, o que o torna ainda mais uma obra de arte.
Pra fechar, é interessante ver um clip tão bem produzido nesses tempos de vacas magras na comunidade metal, tirando as grandes bandas, as menores tem se virado como podem e ver uma banda que esta no meio termo lançar uma produção como essa é algo que merece muito orgulho.
Bora assistir então:

16 fevereiro 2017

TrueAchievements

Todos gostamos de nossas conquistas, seja no console de sua escolha ou hoje em dia até no PC a galera que curte games tem esse bônus nas jogatinas como objetivos a mais, além de algo para exibir a comunidade, "olha só como sou foda nesse jogo". Por falar  nisso pode-se ver as conquistas dos editores deste blog que voz fala no canto esquerdo da versão para PC do Attitude23.
Vamos focar aqui nas plataformas da Microsoft, XBox 360, XBox One e Windows 10. Quem usa essas plataformas e curte conquistas, participar de leaderboards e receber noticias sobre as plataformas apresento-lhes o TrueAchivements, um site que apresenta tudo que descrevi de maneira simples e acessível. Nele é possível ver quais os 10 jogos que você ganhou mais conquistas no ultimo mês, além de um resumo de sua performance pelo e-mail. O site reconhece qual a sua biblioteca nos sistemas e te manda notificações de novas noticias sobre esses jogos, nele você tem novas noticias das plataformas além de um resumo do que mais está sendo jogado e detonado em conquistas pela comunidade.
O site é muito bacana e bem intuitivo, você além de tudo pode conecta-lo ao Twitter ou Facebook e ele automaticamente publicará suas novas conquistas e jogos jogados (conectei ao meu Twitter e achei bem legal pois por meio dele muitas pessoas que curtem os mesmos jogos começaram a me seguir). Porém, e como sempre me repito "tudo tem um porém na vida", o site é em inglês, sendo assim você precisa de algum conhecimento desse idioma para utiliza-lo.
Então é isso, fica a dica de um site legal para vocês valorizarem ainda mais suas conquistas e o ato de chutar bundas em leaderboards. Ah, um detalhe o site possui versão paga mas tudo que falei é gratuito.

14 fevereiro 2017

Fabricio Ravelli e a derrota do metal nas urnas

Em setembro do ano passado publicamos nosso apoio ao Fabricio Ravelli que já foi batera do Harppia e Hirax. Não foi pela carreira do cara que resolvemos apoia-lo mas sim pelo que ele estava propondo, alguém da nossa cultura correndo atras de espaço para o metal junto aos legisladores, algo inédito até então.
Muitos artistas e bandas ligadas ao metal apoiaram o cara, independente do estilo ou mesmo ideologia, muitos se uniram pensando no metal, pensando em nossa arte e o que aconteceu? Fabricio Ravelli não conseguiu se eleger.
Muitos motivos podem ser enumerados aqui mas o principal para mim é essa polarização política que estamos vivendo. Porque o cara se candidatou por um tal partido uns já começaram a falar que não iriam votar por conta desse partido. Os caras nem tentaram ver que iriam votar em um candidato que lutaria por nós, por nossa arte, eles preferiram ver uma caralhada de pastores se elevando ao poder na política só porque os bandidos estavam se candidatando pelo lado que eles torcem.
Esperei um bom tempo para escrever sobre para melhor entender tudo e deixar um pouco os ódios das eleições esfriarem. 
Entendo que as decepções e todos acontecimentos de nossas terras nos levam ao ódio mas acreditar que o problema é esse ou aquele lado é ingenuidade, é ser manipulado por um lobismo insano que toma conta das mídias sociais. E o grande problema é que o que vemos é um bando de fantoches indo para onde os lobistas apontam, um grande exemplo é um tanto de manobras acontecendo para cessar a Lava Jato acontecendo e o povo querendo ir as ruas contra a política de desarmamento, coisa que depois dos episódios de Espirito Santo ficou claro que não é lá uma idéia tão boa assim.
Enfim, voltando ao assunto central do texto, essa derrota só provou que precisamos nos unir, nós do metal, nós do rock n' roll, precisamos nos unir, mostrar as outras "culturas" que estão tomando conta de nossos municípios e estupidificando nossa população. 
Numa próxima eleição que alguém dos nossos resolver encarar esse desafio, bora ir pra batalha e apoiar um dos nossos.

06 fevereiro 2017

Novo Mega Drive da Tectoy

No final do ano passado passamos por uma avalanche de lançamentos retrôs no mundo dos games, pessoal que assim como eu com mais de 30 anos sentiu as calcinhas molhadas com relançamentos de consoles em versões mini e coisas do nível. O mais interessante que ao contrario do normal nesse nicho de mercado, esses lançamentos foram todos oficiais.

A Nintendo lançou o NES (nosso querido Nintendinho) em formato mini em duas versões, americana e japonesa, cada um com 30 jogos diferentes na memória do pequenino console. 

A Atari também entrou na brincadeira e lançou o Atari 2600 em duas versões, uma de mesa com 101 jogos na memória e outro portátil com 60 jogos e entrada para cartão SD.

A Sega relançou uma versão mini do Mega Drive que já havia lançado apenas na Europa, ele conta com 80 jogos na memória e entrada para os cartuchos do clássico console de 16 bits.
O caso que todos esses consoles são apenas emuladores digitais dos consoles clássicos, ou seja, eles tem seu lado positivo como fazer o upscaling da imagem dos jogos antigos com baixa resolução para nossas TVs maiores com HD e a porra toda, porém, não é a mesma tecnologia de quem jogou no console original, perdendo-se em qualidade de reprodução e fazendo o custo de um console desses ser apenas pela memorabilia, já que com um PC ou até mesmo celular poderíamos rodar tais jogos da mesma maneira.

Aí chegamos ao lançamento da Tectoy do Mega Drive onde o hardware do console será inteiramente analógico igual ao console original, o que nos trará uma experiencia mais próxima ao do console original. O console trará 22 jogos na memória, um controle de 3 botões no formato original e ainda entrada para cartão SD, sim você poderá emular ROMS em um console analógico, algo bem interessante. O console contará com entrada para cartuchos também, porém, aí chegamos a uma grande limitação, nem todos os jogos irão rodar diretamente do cartucho, como o caso de Sonic 3 que tem um cartucho especial. E aquela caralhada de periféricos que o Mega Drive teve também não será compatível.
O caso é que na época do anuncio muita gente criticou a coisa mais besta que se poderia criticar do console retrô da Tectoy, a falta de saída HDMI. A empresa explicou que instalar essa saída iria apenas aumentar o custo de produção do console e iria torna-lo mais caro ao consumidor e no fim nem faria tanto sentido o HDMI já que se trata de um sistema antigo. E é fato pois se você quer ter a mesma experiencia que tinha no console clássico, o melhor é ver um sistema que mais se aproxime dele.
O grande problema é que a Tectoy já lançou e continua lançando versões dos consoles antigos da Sega, como já dito Mega Drive e também o Master System. O problema é que muitas dessas versões da Tectoy eram inferiores em qualidade de reprodução ao original. Tive alguns Mega Drives na adolescência e um deles foi o Mega Drive III da Tectoy, lembro que ao jogar Sonic 2 nele, sentia que o jogo engasgava quando a velocidade aumentava na tela e as vezes sentia uma perda de qualidade gráfica. Pensei que era coisa da minha cabeça mas um certa dia li em uma Super Game Power uma critica descrevendo esses mesmos problemas e explicando que a Tectoy usou chips mais fracos, ou algo do nível, e por conta disso o console era menos capaz que o original. Aí que entra a grande interrogação, será que a Tectoy derrapará nesse Mega Drive retrô também?
Torçamos que não pois sinceramente, entre toda essa enchurrada de lançamentos retrôs esse é o unico que realmente chamou minha atenção pois se eu quizer um emulador jogo no PC mas essa é apenas a minha opinião e eu não sou dono da verdade em porra nenhuma.
Se você se interessou pelo console da Tectoy, ele é o unico que tem venda oficial no Brasil, os demais fica no mercado paralelo ou importação. Para maiores informações oficiais, póde acessar o site oficial do console da Tectoy.

04 fevereiro 2017

Rock & Literatura: Saga O Senhor Dos Anéis (Lord Of The Rings)-J. R. R. Tolkien (Parte 14)

Bora pra mais um pouco de Senhor Dos Anéis?

Considerando que você respondeu sim, simbora:

Debauchery: Si tem uma coisa que alemão sabe fazer é cerveja e metal extremo e eu aprecio e muito ambos. Debauchery é a prova do segundo exemplo, os caras mandam um death metal cheio de elementos de splater e gore, as letras trazem muita ironia e incitação a devassidão e coisas do gênero mas também é possível encontrar um tanto da Terra Média em meio a putaria e carnificina e entre as canções voltadas a esse mundo temos The Fall Of Gondolin que nem precisa de maiores explicações;


Amon Din: Já que tamos falando de death metal, vamos pra veia mais contemporânea da porra toda, o Amon Din é uma banda da Sérvia e toca um death metal melódico. A citação a saga de Tolkien já começa pelo nome da banda, Amon Din é uma dos sete picos de montanhas de Gondor, onde ficam as piras que funcionam como alarme. No filme Pippin acende exatamente a pira de Amon Din;

Metal Tribute To Tolkien: Bora viajar agora pro México, para ouvir uma mistura de power e heavy metal com vocal feminino de uma vocalista que no clip valoriza seus dois atributos. Voltando aos xicanos, os caras nem precisam de muita explicação aqui, o nome da banda diz o que exatamente eles fazem e são;

Pastor Brad: E aqui temos algo inusitado, um pastor mandando um metal cristão em homenagem a Frodo E Sam, O som soa como aqueles heavy metal farofa da década de 80 mas é da década de 80 então até aí tudo certo. E se você for começar com preconceito por ser som de um pastor ou algo cristão, lembre-se que Tolkien era cristão e levava isso muito a sério e a saga tem influencias bíblicas. Voltando ao Pastor Brad ele fez esse som que já mencionamos e um ou outro som chamado Mach To Mordor;

Wyrd: E já que falamos do lado cristão da coisa vamos ao pagão nesse black metal arrastado, seco, cru, sujo e do mal. Wyrd é um daqueles mega projetos de um musico e tem uma discografia bem consolidada e está na ativa até hoje. A banda tem algumas influencias da saga da Terra Media e Ravenhill é uma delas. Ravenhill é uma colina.

02 fevereiro 2017

Apresentamos: Remove Your Mask- Wolfmother

A um bom tempo atras, no dia 29 de Junho de 2016, para ser mais exato, postamos a musica Wedding do Wolfmother no Apresentamos que é por meio do nosso canal no YouTube. Nesse vídeo, lá no YouTube, o usuário Mikkel nos pediu para postarmos o som Remove Your Mask, como somos bacanas aqui está o resultado do pedido do cara que demorou apenas 4 meses para ser consentido (mais alguns dias de demora graças a Vivo que me fez o favor de deixarmos sem internet).
Demorou um tiquinho para postarmos porque queríamos fazer outras postagens antes para não ficar repetitivo mas agora vejo que demorou demais e passamos um pouco do tempo mesmo e por isso aqui pedimos desculpa ao Mikkel e aqui prometemos que todo e qualquer pedido ao Attitude23 será respondido mais rapidamente, essa será nossa lei Mikkel da Penha.
Voltando ao som, Remove Your Mask é um som que aparece apenas na versão deluxe do álbum Victorius do Wolfmother, álbum lançado no inicio de 2016 e que ficou bão que só. Não vou me estender mais pois é melhor ouvir o som: